Eduardo Quive, Luis Fonseca, Leonilde Sanveca

10 OUTUBRO / OCTOBER
14.40-15.30 h / 2.40-3.30 pm
LOCAL / PLACE: Fundação Fernando Leite Couto – FFLC

MESA REDONDA: O FUTURO DO “JORNALISMO MÓVEL” EM MOÇAMBIQUE

ROUND TABLE: THE FUTURE OF “MOBILE JOURNALISM” IN MOZAMBIQUE

A massificação dos dispositivos móveis (como smartphones e tablets) e a emergência de canais de distribuição acessíveis e globalizados (como as redes sociais) levaram ao aparecimento do chamado “jornalismo móvel”. Apoiando-se na sua facilidade utilização, baixo custo e adequação a uma produção informativa cada vez mais gerada em tempo real, as tecnologias móveis têm vindo a ser progressivamente integradas nos media tradicionais.
LER MAIS ↓
Mas mais significativamente ainda, elas têm sido objecto de uma apropriação por uma multitude de outros actores (individuais e colectivos) não directamente ligados ao ecossitema mediático instituído. Esta realidade tem sido particularmente expressiva em países e regiões do mundo onde os limites à liberdade de expressão condicionam os meios de comunicação tradicional. O continente africano, onde a penetração dos telemóveis é uma das altas a nível mundial e, em paralelo, se verifica fortes constrangimentos à livre circulação da informação, tem vindo a conhecer um significativo desenvolvimento de projectos independentes que usam as novas tecnologias de comunicação e as redes sociais como forma de contornar as dificuldades existentes. Esta mesa-redonda tem como objectivo reflectir sobre o potencial do “jornalismo móvel” em Moçambique.
The massification in the use of mobile devices (like smartphones and tablets) and the proliferation of accessible and globalized distribution channels (like social media) led to the emergence of the so-called “mobile journalism”. Taking advantage of its user friendly characteristics, low cost and ability to operate in real time, mobile devices have been increasingly adopted by the mainstream media.
READ MORE ↓
But most importantly, they have been appropriated by a multitude of other actors (individuals and organizations) not directly linked to the traditional media ecosystem. Their impact has been particularly relevant in countries and regions of the world where there are great limitations on the freedom of expression. In the African continent, which has one of the highest rates in smartphones use but also many constraints to the free flow of information, many interesting projects using mobile devices have emerged in the last few years aiming to produce independent reporting and storytelling. This round-table aims at debating the potential of mobile journalism in Mozambique.
SOBRE OS ORADORES

 

EDUARDO QUIVE

É jornalista, escritor e produtor cultural.

Enquanto jornalista trabalhou na imprensa e na televisão, tendo sido editor do semanário “Dossiers & Factos”. É actualmente director editorial da revista “Literatas – Artes e Letras”.

O seu interesse nas novas formas de comunicar e fazer jornalismo, usando as tecnologias, levou-o a envolver-se – enquanto coordenador executivo – no projecto de formação em Jornalismo Móvel do MFF 2019.

 

LUIS FONSECA

Jornalista da LUSA – Agência de Notícias de Portugal há 18 anos. Dirige a delegação de Moçambique desde 2017 e antes foi delegado da Lusa e da RTP na Guiné-Bissau (2013-2017), onde foi também formador multimédia na missão da ONU. Produtor e realizador de pequenos documentários e de uma série televisiva (Nô Firmanta Paz).

 

LEONILDA SAVENCA

Doutourada em Comunicação e Semiótica, é actualmente Directora da Faculdade de Ciências da Linguagem, Comunicação e Artes da Universidade Pedagógica

ABOUT THE SPEAKERS

 

EDUARDO QUIVE

He is a journalist, author and cultural producer.

As a journalist he worked for various media (press, television) and was editor of “Dossiers & Factos”, a weekly newspaper. At the moment is the editor of the magazine “Literatas – Artes e Letras”.

His interest in exploring new avenues of communication and journalism practices using mobiles technologies led him to participate as executive coordinator of the MFF 2019 project on mobile journalism.

 

LUIS FONSECA

Journalist at LUSA, the Portuguese news agency, for the last 18 years. He is has been since 2017 Mozambique Bureau Chief of LUSA. He was previously Bureau Chief of LUSA delegation in Guiné-Bissau (2013-2017). While in Guiné-Bissau he also worked for the United Nations mission as a multimedia trainer. He produced and directed short documentaries and a television program (Nô Firmanta Paz).

 

LEONILDA SANVECA

With a PhD in Communication and Semiotics, she is at the moment the Director of the Faculty of Language Sciences, Communication and Arts of the Pedagógica University.

PATROCINADORES

Sponsors

 

SOBRE O MAPUTO FAST FORWARD

About Maputo Fast Forward
O Maputo Fast Forward é uma plataforma dedicada à Criatividade e à Inovação em Moçambique. O seu objectivo é ser um espaço de referência dedicado, à reflexão, ao debate, à apresentação de projectos e ideias, à análise de tendências, à troca de experiências e à constituição de redes entre todos aqueles que, das artes às ciências, da tecnologia ao design, da arquitectura aos media, da gastronomia à moda, das empresas às organizações sociais, reconhecem na criatividade e na inovação os motores da nova economia do conhecimento.

MFF was launched in 2016 as an open platform engaged in promoting creativity and innovation. Its main objective is to help Mozambican creators and innovators across all fields of activity (arts, culture, design, architecture, technology, etc.) to develop and present their projects, engage in fruitful trans-disciplinary debates and develop collaborations in order to establish an ecosystem that will allow them to expand their creative skills and to participate, through the exploration of networking opportunities, in the “global conversation” that is taking place within the “creative industries” sector.

 

maputofastforward.com

UMA INICIATIVA DA